Perigo, Pirata!

Marcélia era uma mãe como tantas outras no mundo.  Jornada dupla, trabalho-casa, uma correria só. Queria ter mais tempo para os filhos, mas conciliar tantas coisas em sua vida era realmente complicado.

Leozinho e Julinha incessantemente pediam à mãe que fossem ao cinema, assistir  ao filme de animação mais recente, sobre o qual os coleguinhas não paravam de comentar. A mãe, sempre prometendo para o próximo fim-de-semana, e no próximo para o próximo, e assim até o desenho sair de cartaz. Os prazos no banco estavam apertados, e aí ela acabava levando trabalho para casa todos os dias. E as crianças, ficando em segundo plano.

Apesar de tudo, Marcélia era uma boa mãe. Não se esquecera do desejo de seus rebentos, e martirizava-se cada vez que via a propaganda do filme num outdoor desatualizado, ou que seus pimpolhos tristemente contemplavam o álbum de figurinhas com os personagens da saga.

Um dia, como que por milagre, ao voltar para casa, enquanto aguardava o sinal abrir para dar a partida no carro, eis que surge um ambulante portando justamente o DVD da película tão comentada, que ainda nem tinha sido lançado no Brasil! Imediatamente ela acenou para o moço, que veio correndo. “É original, moço?”, “Uai, madama, cê sabe né, aqui a gente trabaia com a réprica, mas que tem a mesma qualidade do original – garantido ou a bufunfa de vorta!”, “É em português?”, “Vô sê sincero madama, é protuguêis di Protugal, mas meus fi intenderam tudinho!”, “Quanto é?”, “Dois por cinco, cinco por deiz.”, “Mas eu só quero esse!”, “Dois por cinco, cinco por deiz.”, “Então me dá também esse do Ratinho Feliz.” Rapidamente abriu o sinal, e Marcélia foi feliz para casa, pensando na surpresa que faria para os filhos.

Ela logo anunciou a notícia a Leozinho e Julinha, que não podiam conter a felicidade! Marcélia sentiu-se redimida, afinal. Para convencer as crianças a deixarem o filme para o dia seguinte, ela fez um combinado: “Façam assim: chamem seus amiguinhos para virem aqui amanhã, que eu farei uma festinha com pipoca, refrigerante, brigadeiro e o desenho!”, “Ê!!! Viva a mamãe!!!”.

No início da tarde do dia seguinte, os amiguinhos chegaram. Como estavam todos ansiosos pelo filme, comportaram-se bem, e se posicionaram  em frente à TV. Bacias de pipocas em mãos, o brigadeiro esquentando na panela, Marcélia animou ainda mais a trupe quando disse: “Vamos lá!!!”. Tirou o DVD do plástico, e colocou para rodar. Enquanto o filme não tinha início, retornou à cozinha para terminar o brigadeiro. De repente, ela começa a ouvir sons estranhos vindos da TV. “O que é isso? Desenho mais estranho…” Ela vai até à sala para verificar, e se depara com uma imagem hiperamplificada de partes sexuais em sua TV de mais de 30 polegadas. As crianças com um olhar de quase terror, boquiabertas, umas principiando a chorar, enquanto outras indignadas protestam que “a mãe de Julinho é uma mentirosa, isso não é o desenho!”. Desesperada, Marcélia joga a panela de brigadeiro para um lado, a colher de pau para o outro, e se lança por cima das crianças para alcançar o aparelho e cessar a exibição. Uma chuva de pipoca, brigadeiro e refrigerante para todos os lados, até ela desesperadamente puxar o cabo da TV do plugue, para apressar o negócio.

———————————————————————————————–

Marcélia conseguiu convencer a meninada de que aquilo era um defeito do DVD, e que ela iria reclamar com o moço que vendeu pra ela (com quem, obviamente, ela jamais voltou a cruzar). Ainda assim, todos ficaram decepcionados, afinal, a festa tinha acabado, e eles ficaram sem o desenho… Após dar banho naquele tanto de gente, e vesti-los com as roupas de seus filhos, Marcélia inventou uma desculpa qualquer para explicar a bagunça toda às outras mães. Apesar de uma delas ter ficado bem desconfiada quando o filho narrou um filme superlegal em que o malvado tinha uma espada acoplada no meio das pernas e tentava matar a mocinha que gritava desesperada até o outro chegar com uma espada igual para salvá-la, tudo terminou bem. Mas por precaução, Marcélia jurou nunca mais comprar um DVD pirata em sua vida.

———————————————————————————————–

Inspirado num caso que aconteceu com uma colega do meu namorado.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s