Caminhos estranhos

Eis que peço desculpas pela minha ausência. E achei que ninguém nem notaria. Aí resolvo entrar pra dar uma olhada no blog, com muita preguiça, mas torcendo para que alguma inspiração caia sobre minha cabeça e eu consiga escrever algumas linhas tortas. E ao olhar as estatísticas do site, me assusto ao verificar que no dia das minhas desculpas o número de acessos foi de 28 (a média normal é de 5 por dia). E que nos dias subsequentes ela se manteve um pouco mais alta que o normal (por volta de 15 acessos/dia). Além disso, uma das minhas leitoras (uma amiga), disse que não me perdoa por não escrever! E recebo uma mensagem de incentivo de um novo leitor desconhecido (também blogueiro).

Aí resolvi que apesar do desânimo, devo continuar. Apenas não vou me exigir tanto – antes, eu estava me obrigando a escrever pelo menos uma vez por semana. Agora, vou escrever quando sentir necessidade (claro que não posso passar mais de um mês sem aparecer, se não, as pessoas vão achar que larguei). O fato é que eu quero coisas demais, e tudo ao mesmo tempo, e aí, acabo não dando conta de tudo. E o pior: por essa falta de conseguir priorizar algo, acabo não fazendo é nada – e aí é que vem esse desânimo. Quando não vemos resultados, perdemos o estímulo. Então, vou dar passos pequenos, para ter pequenas conquistas, e conseguir manter-me seguindo adiante. Escrevo uma página por semana do meu livro (em uns 5 anos eu termino de escrever). Aprendo uma coisa nova em fotografia e me inscrevo num curso. Planejo um pouquinho da minha próxima viagem. Janto com minha família. Saio com meu namorado. Ouço uma nova música. Procuro um apartamento. Arrumo mais trabalho do que deveria (mas não consigo evitar!). Começo minhas aulas de dança. Vou na academia. Encontro os amigos sumidos. Vejo as fotos da Isabela. O vídeo do menino dizendo que não é cachorro. Penso se um dia vou conseguir tocar um instrumento. E quando vou voltar a estudar alemão. E se o dinheiro vai dar pra casar. E que eu invento coisa demais pra fazer. Mas vou indo. Aos pouquinhos. Mas vou indo.

 

2 pensamentos sobre “Caminhos estranhos

  1. É, viu como vou ter que aprender muita coisa de fotografia?
    Qual é o curso do momento?
    Posso ajudar a programar sua viagem!!!
    Para começar, esteja imunologicamente impecável, por favor!🙂

    • Você já está no caminho certo da fotografia! Por enquanto, estou apenas lendo muito, e vendo fotos sem parar. Vou fazer um curso básico na UFMG, no início de maio. E tentar treinar com meu brinquedo novo aí nas Oropa! Vou mandar minha programação pra você me ajudar por e-mail! Minha preocupação maior não é a Influenza, mas os 2,5 milhões de pessoas que estarão em Roma entre a Páscoa e a beatificação do Papa – que é justamente quando estarei lá!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s